Do idioma à imigração
Pesquisar
Close this search box.

Vida canadense

Blog Morar no Canadá: sejam bem-vindos!

Ficar em uma Homestay é considerada uma ótima opção para os brasileiros. São locais que oferecem condições muito boas de estadia e com valores relativamente baixos. Mas existem sempre algumas dúvidas sobre o dia-a-dia em uma casa de família. Como os brasileiros se sentem? Como funciona?

Por isso, neste texto, o objetivo é mostrar as oportunidades que uma homestay oferece. Seja pelo ótimo custo benefício ou pela imersão cultural que este tipo de hospedagem proporciona. Além, é claro, de fazer amigos e participar de atividades sociais que só as famílias canadenses proporcionam.

Famílias escolhidas com critério e sempre muito agradáveis

A experiência em uma casa de família canadense depende muito da identificação do perfil do estudante e da família. Por isso o processo de seleção é bem feito, garantindo uma experiência tranquila e divertida. No critério de seleção são considerados alguns fatores como hábitos diários, perfil comportamental, exigências dos alunos, entre outros.

Quando os critérios são estabelecidos ainda no Brasil, não é preciso se preocupar com questões como “Essa família pode ser chata?” ou “Essa família será muito diferente da minha família brasileira?”. Todos os requisitos de ambas as partes devem ser estudados para a busca de uma família de acordo com o perfil do estudante brasileiro.

A Canada Intercambio, por exemplo, garante que o estudante vai ser recebido por uma família que atenda seus critérios. Mas caso o intercambista queria mudar de casa, ele pode solicitar a transferência para outra residência.

O que acontece no dia-a-dia de uma casa no Canadá?

A família canadense é preparada para receber e se relacionar com estudantes. O aluno mantém sua individualidade mas se integra na rotina da família não só para mergulhar na cultura, mas também para aprender expressões e se comunicar de forma mais fluente.

O canadense habitualmente é muito acolhedor e educado, de modo que a adaptação em geral acontece rápido. Café da manhã em família, jantares, passeios de final de semana, histórias e mais histórias, e até presentes. Nas homestays o relacionamento familiar deixa o aprendizado mais leve e afetivo. Isso ajuda principalmente aqueles que nunca tiveream o contato com a língua inglesa ou francesa.

O canadenses tem vasta experiência (e respeito) com pessoas de culturas diferentes – afinal, isso faz parte da formação do próprio país – e isso significa que os brasileiros tendem a ser sempre bem recebidos.

Como funciona na prática?

A homestay funciona com algumas regras específicas que são passadas pelas famílias que acolhem os hóspedes assim que eles chegam, além, é claro, de todo suporte e orientação da nossa equipe. Não é necessário se preocupar com questões como itens de banho ou de higiene. Estes normalmente são fornecidos pela homestay, embora também seja possível levar seus pertences pessoais. (até recomendável).

Os cômodos costumam ser bem equipados, sem grandes luxos, mas com tudo aquilo que o hóspede precisa para passar sua temporada no Canadá. Segurança, higiene, conforto e transparência são peças chaves na escolha das homestays pela Canada Intercambio.

O transporte no Canadá é excelente, por isso o aluno tem a liberdade de conhecer outros lugares sem depender da família.

Em algumas homestays também é possível se hospedar com um estudante brasileiro mas recomendamos sempre um foco total na imersão da língua escolhida. Isso ajuda no aprendizado e acelera o desenvolvimento do aluno.

Vida noturna e sociabilidade: detalhes que devem ser combinados

É possível se divertir no Canadá de diversas formas: natureza, atividades culturais, passeios com amigos, musica ao vivo etc. A vida noturna no país é bastante segura. Entretanto, tudo deve ser combinado com os hosts (pais canadenses), de modo a evitar problemas. Pessoas com idade inferior a 19 anos não podem entrar em casas noturnas. Os horários dessas atividades são bem diferentes do Brasil e muitas delas encerram mais cedo. De toda forma vale sempre o bom senso de entrar em contato com a família canadense caso decida sair com amigos.

Da mesma forma, trazer amigos para a casa deve ser combinado entre o hóspede e o host, de modo a evitar conflitos, manter um bom relacionamento e alimentar uma amizade que pode durar por muitos e muitos anos.

___

Já fez intercambio para outro país? Tem histórias para contar? Tem alguma dúvida? Comente abaixo!

Já está com tudo pronto para embarcar, mas ainda tem dúvidas sobre como funciona a chegada ao aeroporto do Canadá? Cada país possui suas regras e os documentos necessários para os visitantes. Nesse texto, falaremos como funciona aqui em solo canadense.

Como funciona a chegada ao aeroporto do Canadá?

A imigração é a forma que as autoridades dos países têm para saber quem está entrando em seu território. Independentemente de fazer escala ou desembarcar no destino final, você passará pela imigração do Canadá no primeiro aeroporto em que você pousar.

Os oficiais de imigração fazem perguntas padronizadas, como o que você vai fazer no país, por quanto tempo e onde vai ficar. Porém, as perguntas podem variar de acordo com o tipo visto que você possui.

Quais documentos devo levar?

Entre os documentos essenciais para apresentar à imigração, estão:

  • passaporte;
  • permissão para estudo ou trabalho;
  • visto válido;
  • passagens de ida e volta;
  • endereço do local de estadia;
  • carta da escola ou comprovante de matrícula da faculdade/universidade;
  • comprovante do seguro de saúde;
  • autorização para menor de idade viajar desacompanhado.

Para os casos de pessoas que estão imigrando ou ficarão no Canadá por um período mais longo, o oficial de imigração poderá pedir extratos de banco ou comprovação de renda disponível para se sustentar.

O que é preciso para passar pela imigração?

É importante que seu passaporte tenha o prazo de validade superior ao seu retorno. Além disso, o imigrante deve ter o visto ou a eTA (do inglês Electronic Travel Authorization).

Além do visto, para entrar no Canadá é preciso cumprir alguns requisitos, como possuir recursos financeiros para bancar a estadia, ter boa saúde, mostrar a intenção de retornar ao país de origem e ter um seguro de viagem.

De todos esses documentos, o visto é o mais importante. É ele quem vai mostrar para o agente da imigração o que você está indo fazer naquele país.

Como solicitar o visto canadense?

Os requisitos para conseguir o visto para o Canadá podem variar de acordo com a nacionalidade e o período para o qual se está fazendo a solicitação. No caso dos brasileiros, é preciso solicitar o visto nas embaixadas e consulados do Canadá no Brasil.

O prazo de recebimento dos documentos e o visto podem demorar um pouco, por isso, faça-o com o máximo de antecedência para evitar contratempos.

Quais são os tipos de visto?

Existem vários tipos de visto para o Canadá e é importante saber qual deles é o ideal para você. As pessoas entram no país por diversos motivos e cada tipo de visto possui as suas especificidades. Confira a nossa lista:

  • visto de turismo;
  • visto de estudante para cursos de até 24 semanas;
  • visto de negócios;
  • visto de trânsito;
  • visto de imigrante para os aprovados no processo.
  •  

Além dos vistos, o governo canadense emite as permissões:

  • visto parent and grandparent (super visa);
  • permissão de estudos (study permit);
  • permissão de trabalho (work permit).

Cada situação de imigração é única. Desse modo, estar ciente da sua situação e ter todos os documentos é essencial para conseguir entrar no país.

Quer saber mais sobre como vir estudar, trabalhar ou imigrar para o Canadá? Entre em contato com uma de nossas agências no Brasil!

Leia também:
Documentos importantes para intercâmbio
Visto negado para o Canadá: saiba quais podem ter sido os motivos

Você gosta de aventura, sonha em conhecer a neve e não perde nenhuma oportunidade de realizar viagens incríveis? Então, o inverno canadense está chegando e esperando por você, venha conferir roteiros de aventura no inverno do Canadá!

Antes de começar a arrumar suas malas, confira este roteiro com 5 destinos imperdíveis no Canadá. Boa leitura!

1. Esqui, snowboarding e skibunda

Não tem nada mais divertido do que se aventurar nas estações de esqui durante o inverno. As paisagens são lindas e são várias opções de passeios para todas as idades.

Os mais populares, é claro, são os citados acima. Se você nunca praticou nada na neve, não se preocupe, você poderá ter aulas e as estações de ski possuem todos os equipamentos (disponíveis para aluguel) para te ajudar na sua aventura. Basta que você vista com a roupa adequada: Segunda pele, calça, jaqueta, luvas e botas próprias para neve, gorro, cachecol e, se possível, um óculos de sol para te ajudar a enxergar melhor, já que a neve reflete mais do que os dias ensolarados que os brasileiros estão acostumados.

Outra sugestão de prática de esporte sobre a neve é o snowboard — uso de prancha sobre esse tipo de terreno. Certamente, você gostará das manobras radicais no ar e sobre rampas. E se você quiser algo mais leve, é só brincar de skibunda.

Em Vancouver, os dois lugares mais famosos para esquiar são a Grouse Mountain, com a famosa gôndola para ver a vista espetacular de Vancouver lá no alto, e a Cypress Mountain, que você pode subir de carro.

2. Subir, a pé, ao topo da Grouse Mountain

Estando disposto a fazer uma trilha desafiadora, a Grouse Grind é uma ótima opção! São cerca de 3 km de subida pavimentada por escadas e corrimões em meio à linda cidade de Vancouver.

Durante a caminhada, placas no trajeto destacam que é importante fazer pausas para repor as energias e, então, continuar o caminho. Após chegar ao topo, você encontra restaurantes e diversas atrações, como uma pista de patins no gelo, tirolesa e o The Eye of The Wind (Olho do Vento), que é uma torre como aquelas de energia eólica com uma espetacular visão 360º de Vancouver.

Lembrando que, para retornar da trilha, não é necessário descer tudo a pé. O caminho de volta é feito pela gôndola.

3. Conhecer a cidade de Banff

Localizada na província de Alberta, mais ao centro do Canadá, a cidade de Banff é muito procurada por fãs de esportes radicais na neve. Por lá, também é possível realizar o rafting — esporte em grupo no qual os participantes descem e remam por quedas d’água em um bote.

Se a sua preferência for se aventurar no meio da mata e subir montanhas para apreciar a natureza, você não pode deixar de fazer o trekking — trilhas que ficam em meio a florestas e locais selvagens. Na região, existem grandes quantidades desses tipos de esporte, com direito a uma boa estrutura para os visitantes.

4. Andar de snowmobile em Ontário

Já imaginou ter a oportunidade de passear na neve com um snowmobile?

Em Ontário, província do Canadá onde fica Toronto, você pode se divertir por mais de 30 mil quilômetros de trilhas próprias para serem percorridas nessa moto para terrenos gelados. É uma super aventura e te dá direito a paisagens lindíssimas!

5. Escalar nas montanhas rochosas de gelo

Se você ainda deseja aventuras mais radicais, não pode deixar de experimentar a escalada no gelo. O legal é que, mesmo não tendo muita prática, essa é uma atividade extremamente acessível, pois há níveis diferenciados de dificuldades.

A “parede de gelo”, na verdade, é composta por cachoeiras congeladas nas montanhas rochosas do Canadá, usadas pelos esportistas para radicalizar em suas performances, aumentando a adrenalina dos praticantes.

E agora, após conferir os esportes, os passeios e as dicas de aventuras no Canadá, compartilhe este conhecimento com seus amigos em suas redes sociais, para que eles possam aprender mais sobre esse fantástico país!

A influência dos imigrantes e a predominância das colônias francesa e inglesa trouxeram ao Canadá uma incrível mistura de sabores que hoje representa muito da história e da cultura do país, que completou 150 anos de independência em 1º de julho 2017.

Podemos dizer que, assim como ocorre na culinária brasileira, as receitas típicas da cozinha canadense (além de deliciosas) são “experimentos” que deram muito certo e que de forma singular traduzem as tradições e valores que o Canadá dedica aos seus costumes e heranças gastronômicas.

Neste artigo, vamos conhecer quais são as 10 comidas típicas do Canadá você não pode deixar de provar em sua próxima viagem ao país, seja para a realização do seu intercâmbio ou durante suas férias. Confira!

10 comidas típicas do Canadá que vão te deixar com água na boca!

Não pense que foi fácil elaborar esta lista, pois a culinária canadense é uma das mais autênticas do mundo, com ingredientes típicos misturados ao que há de melhor na gastronomia internacional.

Confira agora a nossa relação de 10 comidas canadenses que ganharam o mundo e que simbolizam a cultura e as tradições do Canadá:

  1. Poutine

poutine

Talvez seja o mais famoso prato da cozinha canadense. Originário de Québec, o Poutine é o resultado da mistura de batata frita com coalhada de queijo cheddar, coberta com um molho de carne que os canadenses chamam de gravy.

Essa é a receita tradicional, porém, existem variações do Poutine que ajudaram a torná-lo ainda mais popular no mundo todo, sendo que existem restaurantes especializados na preparação e nas adaptações desta comida típica do Canadá.

  1. Montreal Smoked Meat

Os canadenses, assim como os americanos, gostam bastante de sanduíches, e portanto, esta é uma das receitas mais famosas do país, feita com pão, carne defumada marinada com especiarias e ervas que dão um toque especial no sabor e na apresentação do prato.

  1. Butter Tarts

Essa é uma sobremesa típica do Canadá que lembra bastante as tortas de padaria aqui do Brasil.

Elas são bem açucaradas e podem ser encontradas nos cafés e supermercados do Canadá com recheios diversos, tais como maçã, blueberries e nozes.

  1. Maple Syrup

syrup

Além das receitas, os ingredientes da cozinha canadense merecem destaque nesta lista, como é o caso do Maple Syrup, um xarope que é bastante utilizado como cobertura para panquecas, waffles e sorvetes.

A folha da Maple (árvore da qual o Maple Syrup é originário) está retratada na bandeira do Canadá, o que demonstra sua importância na cultura e na história do país.

  1. Macaroni and Cheese

A mistura de macarrão com queijo foi adotada pela culinária canadense e está na lista de preferência da maioria dos habitantes do país, que compram porções da receita (também conhecida como Mac&Cheese) nos supermercados para o almoço e jantar.

Os ingredientes do Macaroni e Cheese são o macarrão caracol, leite, manteiga, queijo e farinha.

  1. Bagels

É um tipo de pão em formato circular que pode ser encontrado em diversos sabores e com acompanhamentos que misturam o doce e o salgado na medida certa para a satisfação de qualquer paladar.

  1. Nanaimo bar

É uma sobremesa tradicional da culinária canadense composta por uma camada de bolacha waffer com chocolate, uma camada de creme de baunilha e uma de cobertura de chocolate.

Existem combinações que também misturam nozes, castanhas, coco e café, acentuando ainda mais o seu sabor característico.

  1. Peameal bacon

Os canadenses aprenderam a utilizar o lombo do porco como uma espécie de bacon, envolvendo-o com farinha de milho.

Esta iguaria é muito popular em Toronto e é utilizada em sanduíches e como prato principal em diversas receitas.

  1. Tourtière

Essa torta (que mais parece um empadão) é recheada tipicamente com carne bovina ou suína, além do frango que também é bastante utilizado.

É um prato típico do natal canadense e está presente nos supermercados e cafés dos principais centros urbanos do país.

  1. Carne de caça

Com a legalização da caça de alguns animais para o consumo, os canadenses se alimentam com muita proteína animal e algumas das mais tradicionais são as carnes de rena, javali e bisão.

Vale lembrar que para quem não come carne este país também é um prato cheio! Com restaurantes veganos e vegetarianos por onde quer que você vá.

Viu só quanta diversidade gastronômica te espera no Canadá?

Continue acompanhando nosso blog para saber mais curiosidades canadenses!

Uma das experiências mais marcantes e decisivas na vida de um estudante é um intercâmbio. Mas que país escolher? Geralmente, quando chega a hora de planejar a temporada de estudos no exterior, a carga de expectativa costuma ser enorme.

Nesse contexto, as dúvidas sobre custos, tipo de curso, instituições e acomodação costumam ser muitas, mas a primeira e mais essencial delas ainda é: para onde ir? Se a ideia é estudar inglês, os EUA normalmente é o primeiro destino que vem à mente.

Mas que tal se abrir para outras possibilidades? Fazer intercâmbio no Canadá ou até na Europa, por exemplo, são opções que vêm atraindo cada vez mais jovens em busca de história, cultura e vivências diferentes.

Quer conhecer os detalhes de cada um desses destinos antes de fazer essa escolha tão difícil? Continue a leitura!

EUA

Em uma mudança de país, uma das primeiras questões a serem enfrentadas costuma ser o choque cultural. No caso dos Estados Unidos, esse embate costuma ser mais ameno por conta da disseminação da cultura americana no Brasil.

A diversidade de cidades — das turísticas Miami, Nova York, San Francisco ou Boston até os vilarejos interioranos — também funciona como atrativo. A variedade de programas oferecidos nos EUA é imensa e engloba cursos de curta duração, high school, graduação, especialização, MBA, mestrado e doutorado, com opções para estudantes de todos os níveis.

O grande obstáculo, no caso dos EUA, fica por conta do visto específico exigido para estudantes, o F-1. O processo geralmente é lento, burocrático e exige a presença do solicitante para uma entrevista em uma das 6 sedes do consulado americano no Brasil.

Canadá

Facilidade em termos de visto, possibilidade de fazer o processo online e de enviar os documentos via correios e custos mais baixos que os dos EUA ou da Europa: não é à toa que o Canadá é atualmente um dos países mais procurado por brasileiros para intercâmbios.

Além de programas atraentes para vários níveis de escolaridade, o Canadá tem a seu favor os índices de segurança, a qualidade das suas escolas e universidades, a multiculturalidade e o espírito acolhedor da população.

Para quem pretende juntar estudos com turismo, fazer intercâmbio no Canadá oferece atrativos para todos os gostos: esportes de inverno, natureza exuberante e grandes metrópoles cheias de programações culturais.

Europa

Se a intenção do estudante é experimentar uma cultura nova, mergulhar no passado e descobrir um estilo de vida bem diferente do nosso, os países de língua inglesa da Europa, como Inglaterra, Irlanda ou Escócia se tornam opções bastante interessantes. Além da facilidade de viajar para outros países do Velho Mundo, a imersão vai além da língua e envolve história, arte e programações culturais únicas.

O maior empecilho para temporadas de estudo na Europa costuma ser o preço, tanto de passagens quanto de hospedagem e das próprias escolas. Mas evitar as grandes cidades, como Londres, pode ajudar a baratear os custos. Bournemouth, Liverpool, Manchester e Cambridge são opções mais em conta e com ótima estrutura.

As opções para quem planeja estudar no exterior podem até deixar estudantes e pais confusos. No entanto, avaliar com cuidado as vantagens e possibilidades de cada destino, pesando as expectativas e adequando-o ao perfil do aluno, é o ponto principal para acertar nessa escolha.

Sem nenhuma dúvida, estudar fora é uma das maiores aventuras e experiências de aprendizado pela qual alguém pode passar. Por isso, conhecer as diferenças entre os vários programas de intercâmbio no Canadá, EUA e Europa é o primeiro passo para uma viagem proveitosa e bem-sucedida.

Já fez intercâmbio ou está planejando fazer? Tem alguma dica? Divide com a gente nos comentários!

Antes de fazer qualquer viagem, qualquer brasileiro já tem pronta a sua shopping whislist. Além dos preços mais acessíveis, a qualidade dos produtos é muito superior. Veja abaixo algumas dicas de compras para você dar o check em sua lista quando visitar Vancouver e Toronto. Aproveite!

Vancouver

• Yaletown: antigamente era uma área industrial, mas atualmente é uma região legal para fazer compras em Vancouver, onde ficam as lojas de grifes e marcas, joalherias e pequenos outlets. Duas das lojas mais famosas da região são as Chintz and Company, que vende joias e cosméticos, e a Global Atomic Designs, conhecida pelas peças de grifes famosas.

Pacific Center Mall: é o shopping mais perto do centro de Vancouver, e uma das melhores opções para fazer compras na cidade. Tem mais de 100 lojas com destaque para a The Bay famosa loja de departamento.

• Gastown: é o lugar mais frequentado por turistas, portanto se você está a procura de lembrancinhas e souvenirs do Canadá esse é o lugar certo.

Metropolis at Metrotown: fica a 15 minutos do centro da cidade e é o maior shopping da Colúmbia Britânica. Com mais de 400 lojas, você encontra roupas, eletrônicos e móveis.

Toronto

• Yonge – Dundas Square e arredores: é o centro de compras de Toronto. Tem várias lojas multimarcas, shoppings e restaurantes. Com destaque para o shopping Eaton Centre que possui mais de 200 lojas de diversas marcas canadenses e internacionais.

• Cidade subterrânea – PATH: no inverno, onde as temperaturas são realmente baixas, uma ótima opção de compras é o PATH, que inclusive tem uma parte do Eaton Centre (item acima) e muitos outros shoppings e opções de compras.

• Bloor Yorkville: é o centro de compras mais chique de Toronto e já foi comparado até com a Fifth Avenue de Nova York. Tem mais de 700 lojas com as mais famosas grifes do mundo.

Yorkdale Shopping Centre: um shopping com mais de 250 lojas com diversas opções de gostos e de preços também. Tem marcas canadenses, marcas conhecidas mundialmente e também lojas de grifes renomadas.

Dicas de compras preciosas para gastar menos

• Evite comprar em zonas turísticas. Você pode encontrar os mesmos produtos por um preço menor em regiões mais afastadas.

• Utilize cartões pré-pagos ou dólar canadense – fuja dos cartões de crédito pela variação cambial.

• Dê preferência aos outlets, eles são ótimas opções para gastar menos mas fique de olho nas promoções. Todo final de temporada há a queima de estoque e você pode achar ótimos preços.

Boas compras! Leia também, 7 melhores passeios e atrações em Toronto para curtir a cidade.

Ser bilíngue ou saber bem uma segunda língua não significa que nunca vamos cometer erros de inglês na hora de falar. Se alguns deslizes acontecem na nossa língua materna, imagine em uma estrangeira.

A nossa primeira língua influencia, e muito, a maneira como aprendemos as outras. Afinal, linguagem é mais do que uma forma de comunicação, é também um reflexo de como entendemos as coisas.

Por isso, é comum que brasileiros, que compartilham o português, tenham erros similares quando se trata de línguas estrangeiras.

No post de hoje, listamos 5 erros de inglês que os brasileiros cometem e explicamos como corrigir todos eles. Confira!

1. Os falsos cognatos

Os falsos cognatos são erros muito comuns, que ocorrem independentemente da língua que estamos aprendendo. Eles são palavras escritas e/ou pronunciadas de maneira semelhante ao português. Essa semelhança, porém, não quer dizer que tenham o mesmo significado.

Alguns exemplos de falsos cognatos no português e no inglês são “puxar” e “push”. Em inglês, “push” é, na verdade, o oposto de puxar, e quer dizer “empurrar”, o que confunde muitos brasileiros ao lidarem com portas no exterior.

Outra pegadinha acontece também com a palavra “actually”, que muitos brasileiros associam com “atualmente”. Mas a palavra quer mesmo dizer “na verdade”.

2. Minha idade é

Ao dizer a idade, muitos brasileiros traduzem a frase “Eu tenho x anos” para o inglês ao pé da letra, o que resulta em “I have 20 years”.

Porém, no inglês, usa-se “years old” para fazer referência à idade. Além disso, no inglês não é utilizado o verbo ter, mas, sim, o ser/estar. Por isso, “eu tenho 20 anos” se traduz corretamente por “I am 20 years old”.

3. Phrasal verbs

Esses são um pouco mais complicados. Phrasal verbs são expressões geralmente compostas por um verbo mais uma preposição. A dificuldade está no fato de não se poder traduzi-los literalmente, pois não seguem exatamente uma regra.

Por isso, é preciso decorar os significados dos phrasal verbs, pelo menos dos mais utilizados. Alguns exemplos são “shout out”, que quer dizer gritar; “put up”, aguentar; “shut down”, fechar; e “open up”, desabafar.

4. Pretend x Intend

Esse é uma baita pegadinha e um dos erros de inglês mais frequentes entre brasileiros. Como “pretender” em português quer dizer “ter a intenção de”, muitos transferem esse significado para o “pretend” em inglês, que significa, na verdade, “fingir”.

O verbo correto para dizer “pretender” em inglês é “intend”. Por isso, caso queira dizer “Pretendo ir na festa amanhã”, em inglês fica “I intend to go to the party tomorrow”.

5. People is

“People” quer dizer pessoas, mas como não existe o “s” no final, muitos brasileiros se esquecem disso. Aí vemos frases como “People is beautiful”, quando o correto seria “People are beautiful”.

Bem, esses são apenas alguns dos erros de inglês aos quais os brasileiros devem ficar atentos para não cometer. É difícil não sermos influenciados pela nossa língua materna. Por isso, não precisa se sentir mal caso ache difícil guardar alguns desses.

E então, curtiu nossas dicas para corrigir os erros básicos de inglês? Caso tenha gostado, compartilhe nas redes sociais para que seus amigos também possam evitá-los!

A depender do seus objetivos, você deve pesar as vantagens e desvantagens ao fazer essa escolha. Pensando na relevância desse assunto para o seu bem-estar, vamos apresentar aqui dicas importantes a serem consideradas, na hora de escolher uma acomodação de intercâmbio.

O lugar onde você residirá é determinante para um bom aproveitamento do intercâmbio. Por estar em um ambiente diferente do seu, é importante que você escolha um local com o qual você se identifique para morar.

1. Considere morar em uma casa de família

Ser recebido por uma família estrangeira certamente é uma experiência única. É a sua chance de conviver com pessoas que já residem naquele país e que poderão lhe dar boas indicações para explorar esse novo contexto. Esse grupo familiar também pode te fornecer segurança e te auxiliar em algumas necessidades básicas e a se adaptar ao novo cotidiano.

Além disso, é uma oportunidade de conhecer de perto o dia-a-dia de uma família diferente da sua. Das opções disponíveis essa também é vantajosa por não ter os custos tão altos.

2. Se o seu negócio é independência, alugue um espaço

Apesar dos custos mais elevados, alugar um apartamento ou um quarto pode ser uma boa ideia se você gosta de construir o seu próprio espaço.

Se você morou a sua vida inteira com outras pessoas, essa é uma oportunidade interessante de experimentar a sensação de criar do zero uma casa. Pode ser a sua chance de conhecer as vantagens e desvantagens de ter que cuidar sozinho de um lar.

É uma chance de desenvolver a independência, além de ter conforto de poder escolher o lugar onde quer morar e estabelecer sua própria rotina.

3. More com estudantes e cresça com o grupo

Viver nas residências estudantis pode ser uma saída interessante para quem gosta de fazer amizades e programas coletivos.

Nesse sentido, é uma forma de moradia similar ao que chamamos de república aqui no Brasil. A vantagem dessa opção são os custos reduzidos. Além disso, é uma maneira útil de praticar a tolerância com o outro e o exercício do pensamento coletivo.

4. Assegure que você esteja em um lugar confortável

Como dito anteriormente, sua casa é um lugar sagrado em uma viagem como essa. Por isso, ao escolher a acomodação de intercâmbio, coloque como prioridade viver em um espaço minimamente confortável e em um ambiente respeitoso.

É importante saber que sempre haverá conflitos e questões a serem tratadas quando dividimos espaço com outras pessoas. Mesmo a mais harmoniosa das famílias tem discussões e desentendimentos eventualmente, é natural que algo do tipo ocorra.

Por outro lado, algumas vezes é possível que você acabe indo parar em uma casa que realmente não esteja dentro dos parâmetros mínimos de segurança e bem-estar. Nesse caso, você deve se certificar de ter a quem acionar para promover as mudanças necessárias.

5. Procure uma boa agência de intercâmbio

Contratar uma agência de intercâmbio é muito proveitoso pois ela te acompanhará desde os primeiros momentos do planejamento até a sua estadia no país em questão. Uma instituição de qualidade inclusive lhe dará um tratamento personalizado, quanto à alocação e no momento de tomar as decisões necessárias que atendam suas necessidades individuais.

Essa é uma saída eficaz pois você conta com o serviço de pessoas que já têm os contatos necessários para encontrar um lugar que se adeque ao que você precisa.

Ir para um intercâmbio através de uma agência qualificada é uma maneira de assegurar seu bem-estar e evitar certos problemas.

Pode ser importante recorrer a uma agência também para resolver questões que você venha a ter em sua moradia, sendo esse um contato a quem você pode sempre acessar em momentos de dificuldade.

Essas são dicas valiosas para quem está planejando sua acomodação de intercâmbio. Decidir bem lugar onde você irá morar é fundamental para um aproveitamento adequado de sua experiência no Canadá.

Gostou de nossas dicas? Leia esse outro artigo e aprenda também como abrir uma conta no Canadá!

Uma das tendências que vem ganhando força entre os jovens é a graduação fora do Brasil. Seja pela desvalorização da educação no país, pelos vestibulares concorridos ou por diversos outros fatores, muitos estudantes estão optando por cursar Engenharia no Canadá.

O Canadá está na lista dos melhores países do mundo para se morar e também integra o top 10 dos lugares com melhores índices de aceitação de estrangeiros. A perspectiva para o mercado de trabalho na área também é otimista, o que aumenta as expectativas de quem sonha em estudar aqui.

No entanto, é importante saber que é preciso passar por diversos processos para, finalmente, conseguir se graduar fora do país. Mas não fique assustado, neste post, vamos mostrar tudo o que você precisa saber para cursar engenharia no Canadá. Curioso? Então acompanhe!

Principais instituições para cursar engenharia no Canadá

Primeiramente, é preciso entender que o ensino superior no Canadá tem algumas diferenças do que há no Brasil. Lá existem duas modalidades: college e university. A primeira foca em habilidades específicas e profissionalizantes, semelhante ao tecnólogo do Brasil. A outra é voltada para bacharelados mais longos e tradicionais.

Boa parte das engenharias são aplicadas dentro dos colleges. Portanto, conhecer as principais instituições que oferecem esse curso é importante para decidir com qual você mais se identifica.

Confira, a seguir, algumas delas!

Centennial College

Essa instituição fica em Toronto, a maior cidade do Canadá e também uma das mais desenvolvidas. A Centennial College é conhecida pelo seu estilo didático interativo, pela educação cooperativa — isso é, incentivo para que os estudantes se formem com conhecimento teórico e prático nas áreas escolhidas — e por seus programas de estágio.

Nessa faculdade, são oferecidas as seguintes especialidades de engenharia:

• Biomédica;

• Aeroespacial;

• Mecânica;

• de Software;

• de Sistemas da Energia.

Humber College

A Humber também é localizada em Toronto e se divide em oito diferentes escolas. Assim como a instituição anterior, o seu ensino é focado no aprendizado prático e na preparação para o mercado de trabalho. Sendo assim, é muito mais fácil conseguir uma vaga de emprego no final da graduação.

Essa universidade se dispõe a receber cerca de 4.700 estudantes internacionais ao ano e oferece cursos como Engenharia Eletrônica e Engenharia Elétrica.

 

O que você precisa saber para cursar Engenharia no Canadá

O ramo da Engenharia está em constante crescimento por todo o mundo e o mercado de trabalho é bastante receptivo para profissionais da área. Esse curso é uma das profissões regulamentadas e, por isso, precisa de uma avaliação e reconhecimento do órgão regulador do país, que varia de acordo com a região.

Os cursos não são baratos. Existem sim bolsas de estudo, mas elas são mais comuns para quem já iniciou a graduação no Brasil e integra um programa de intercâmbio. Nesses casos, elas costumam ter uma curta duração, sendo apenas uma experiência de aprimoramento.

Para ingressar no ensino superior no Canadá, é preciso atender a alguns requisitos. São eles:

• ter, no mínimo, 18 anos;

• ter boas notas acadêmicas;

• ter nível avançado de inglês e, em algumas universidades, francês — isso porque o Canadá tem duas línguas oficiais e em determinadas regiões, a língua francesa é a mais usada.

Processo de admissão

Os processos de admissão variam de acordo com a instituição desejada. O padrão de requisitos, geralmente, são:

• conclusão do ensino médio;

• certificado de aprovação no teste de proficiência em inglês, seja o TOEFL ou o IELTS;

• documentos juramentados;

• bom histórico escolar.

Algumas instituições ainda pedem que o candidato comprove afinidade com a área de estudo e realizam entrevistas. Quando a pessoa é aprovada, ela recebe uma carta de aceite, que permite dar a entrada no visto de estudante.

Duração do curso

Com exceção do Quebec, que apresenta um sistema educacional diferente devido a sua cultura francófona, a maioria das províncias apresenta o seguinte período para formação:

• treinamento técnico: de 1 a 4 anos;

• college: de 1 a 4 anos;

• bacharelado: de 3 a 4 anos;

• mestrado: de 1 a 3 anos:

• doutorado: no mínimo 3 anos.

Preparação para o ingresso

Existem diversos preparativos para ingressar em um curso de Engenharia no Canadá. O primeiro é ter um bom desempenho acadêmico durante o ensino fundamental e médio. Depois disso, aprimorar os idiomas locais, no caso, inglês e francês, é importante.

Além disso, para morar no Canadá, é necessário comprovar meios de subsistência, como extratos bancários, comprovações de renda, declarações de IRPF, aplicações, entre outros, seja seu ou de sua família, a fim de aprovar o visto.

Depois de receber a carta de aceitação da college ou university escolhida, é possível dar entrada ao visto de Study em Work Permit. Dentro do campus, não é necessário a segunda categoria para trabalhar, no entanto, fora do local de estudo, o aluno pode trabalhar por até 20 horas semanais.

 

O mercado de trabalho para o engenheiro no Canadá

O mercado de trabalho é bastante positivo para pessoas formadas em Engenharia, principalmente no Canadá. A média salarial de posições iniciais é de 50 mil dólares canadenses por ano, ou CAD 4,166.00 por mês, que é considerado um salário muito bom.

As categorias que mais se destacam dessa área no país são a elétrica, mecânica, fabricação, civil, de processos e de qualidade.

Depois de ler este post, aposto que a vontade de estudar Engenharia no Canadá só aumentou, não é verdade? A dica para se sair bem e conquistar o seu sonho é estudo e empenho. O país valoriza muito a educação e, com toda certeza, seu esforço será reconhecido. Por isso, vale a pena ir em busca de seus objetivos.

Para saber mais sobre o estudo no Canadá, entre em contato conosco e tire todas as suas dúvidas! Temos uma equipe especializada em achar o melhor college para você!

Escolher o Canadá para viver, estudar ou realizar um intercâmbio pode até ser uma decisão fácil para os brasileiros que buscam qualificação profissional e melhores condições de trabalho no exterior.

A qualidade de vida, a baixa taxa de desemprego e a tolerância às diferenças são aspectos da cultura canadense responsáveis por atrair cada vez mais pessoas para cá.

Porém, a escolha da cidade canadense é o grande desafio para muitos, pois praticamente todas são indicadas para estudos, trabalho e turismo, sendo Vancouver e Toronto as mais procuradas pelos brasileiros.

Neste artigo, vamos abordar os principais aspectos que diferenciam essas duas cidades para te ajudar na sua decisão, de acordo com o seu propósito e objetivo no Canadá. E então, qual delas será a melhor opção? Confira!

Para conhecer todos os outros destinos no Canadá, acesse aqui.

Vancouver

Vancouver

Vancouver e Toronto são cidades grandes, culturais e modernas, indicadas aos estudantes que desejam realizar um programa de intercâmbio ou para quem planeja se mudar para o Canadá.

Vancouver, por exemplo, é uma cidade mais tranquila se comparada com Toronto. Além de ser uma das cidades mais quentes do país, em Vancity, os habitantes podem curtir belas praias e um estilo de vida mais saudável com diversos lugares para a prática esportiva ao ar livre, parques, lagos, festivais e passeios.

Durante o inverno, Vancouver recebe um número grande de turistas em busca dos melhores points de ski (conheça Whistler) e diversão em bares e pubs nas áreas mais populares da cidade.

Veja o guia completo de Vancouver aqui.

Toronto

Toronto

Toronto possui mais que o dobro do número de habitantes de Vancouver, sendo um dos maiores centros urbanos da América do Norte.

Uma das principais características de Toronto são as mudanças climáticas, que evidenciam as belezas naturais do Canadá. Na primavera, por exemplo, as árvores ficam super floridas, com cores intensas e vibrantes. No verão, as tardes de Toronto chegam a registrar mais de 30°C com facilidade e no inverno a cidade se transforma em um verdadeiro “parque de diversões na neve”, com estações de ski, pistas de patinação e uma cidade subterrânea (PATH) com lojas e muitas atividades turísticas.

A diversidade cultural é intensa. A cidade é recheada de eventos, festas, shows e muita arte.

Veja o guia completo de Toronto aqui.

Vancouver ou Toronto?

As diferenças climáticas e o ritmo de vida definem os aspectos mais evidentes dessas duas cidades, porém, ambas são as mais indicadas para quem deseja estudar e trabalhar no Canadá.

Toronto pode ser uma boa escolha aos que gostam de um estilo de vida mais agitado e estão acostumados com o vai e vem de pessoas nos grandes centros urbanos (quem mora em São Paulo, por exemplo, pode se adaptar com mais facilidade ao ritmo da cidade).

Por outro lado, Vancouver oferece muitas opções de passeios e pode ser um excelente destino para quem deseja ficar no Canadá por mais de três meses, principalmente por conta da temperatura na cidade, que é bem menos rigorosa no inverno na comparação com Toronto.

E você qual das duas cidades você prefere? Envie seu comentário!


A Canada Intercambio possui escritórios nas cidades de Toronto e Vancouver pra você realizar cursos de inglês e francês com a máxima qualidade a todos que desejam estudar e trabalhar no Canadá.

Se ainda estiver na dúvida sobre qual das duas cidades escolher para sua próxima viagem, basta acompanhar o blog “Morar no Canadá” e conferir as melhores dicas de estudo, turismo e imigração neste país fascinante e inspirador!

Este site utiliza cookies. Ao continuar navegando neste site, você concorda com nossa Política de Privacidade e com a utilização de cookies para melhorar sua navegação.